quarta-feira, 17 de agosto de 2011

[ Fringe] Joshua Jackson dá entrevista ao IGNTV

Joshua Jackson , deu uma entrevista ao IGNTV e fala sobre Fringe, confiram a tradução logo a baixo.

Pergunta: Se eu fosse super-analisar, eu diria que você e o Sr. Noble tiveram um bom abraço agora mesmo, quase como se você não o visse há muito tempo…

Joshua Jackson: Sim, eu acho que isso é uma análise justa. Tem sido estranho para o início desta temporada. Eu gosto tanto de trabalhar com o John. Então ter tudo isso a acontecer e eu estar aqui [em Los Angeles] é um sentimento estranho.

P: Quanto é que lhe falaram sobre o que estava para acontecer no final da temporada passada?

Jackson: Bom, o roteiro mais completo, nada de nada. Mas o cliffhanger, que iria acontecer, nós construímos aquilo juntos, de certa forma. Havia muita discussão sobre qual o nível para o qual o deveríamos levar, e eu era um grande apoiante daquele cliffhanger. Eu apenas achei que era uma coisa boa a fazer porque as apostas são tão altas. Quando nós olhamos para trás, em Fringe, eu acho que que provavelmente o ícone de Fringe será o cliffhanger da Temporada 1 onde você é levado às Torres Gémeas. Mas a minha esperança é que o ícone do cliffhanger que nós teremos serão os últimos três meses – em que todos serão, “O que significa isso, ele não existiu? Para onde foi? Se ele não estava lá, então como todos se conhecem? E porque é que a ponte ainda está lá? E o que significa a máquina?” Portanto, eu fui parte da construção disso, e eu acho que é fantástico que Fringe tenha os cojones de ir atrás de algo como isso. Invés de fazer metade e depois ter-me a mim na primeira cena do próximo episódio, “Não te preocupes, está tudo bem!” ou acordar no banho tipo, “Woo! Foi um sonho maluco.” Eu apenas acho que é bom que nós continuamos a ter coragem para sermos criativos o suficiente para ir atrás de coisas como isso.

P: Você apareceu na Comic-Con vestido como um Observador. Deve estar consciente das teorias que os fãs lançam sobre Peter ser transformado num Observador…

Jackson: Bom, eu era a favor da teoria do Observador. Os rapazes me disseram que isso estava errado, portanto eu acho eu acho que aquela foi a minha única chance de me vestir como Observador e experimentar.

P: Portanto nós podemos pelo menos dizer que Peter não é um Observador?

Jackson: [Risos] Você pode dizer o que quiser, e eu posso dizer o que eu quiser. Eles não me dizem essas coisas. Pelo que sei hoje, eu não são um Observador. Mas quem sabe amanhã? Eu acho que teria sido mesmo divertido. Eu tinha uma teoria. Todos têm as suas teorias. Eu tinha uma teoria em que os Observadores tornaram-se Observadores porque eles mexeram com a linha do tempo e fizeram com que ficassem presos fora do tempo. O mundo Fringe funcionou quase num loop do tempo, e cada um dos Observadores era Peter de um tempo diferente em que o loop rodava… Mas isso estava errado!

P: Mas nós sabemos que você será um membro do elenco nesta temporada de Fringe…

Jackson: Eu serei um membro do elenco num show da Warner Brothers na FOX. [Risos] É tudo o que sei agora.

P: [Risos] Certo, portanto talvez Alcatraz, ou…?

Jackson: Isso podia ser! É Bad Robot. Talvez, vamos ver.

P: Na última temporada, você estava apenas em cerca de metade dos episódios.

Jackson: Claramente, alguém gosta de mim!

P: E nesta temporada, você não existe.

Jackson: Ou alguém me odeia. [Risos] Ou eles me estão a mandar uma mensagem de uma forma muito subtil, ou alguém está a ser está a ser muito bondoso comigo e deixando-me dentro do mundo Bad Robot.

P: Você está em mais ou menos episódios do que na temporada anterior?

Jackson: Atualmente? Seria menos. Mas eu não faço essas decisões. O nosso show não é um show de estrelas, é um show de personagens. Eu quero dizer, eu assumo que partindo do princípio que eles me querem aqui, eu serei parte de Fringe. De facto, eu sei que eles querem que eu seja parte de Fringe, mas eu também sei que eles querem contar a história na melhor maneira possível de contá-la. É por isso que eu acho que é preciso ter coragem, precisamente porque é tão incomum levar um dos três líderes do seu show e depois tirá-los do show. E depois mostrar como é quando ele não está lá. É simplesmente algo que você não faz assim tantas vezes. Particularmente numa rede de televisão onde a sua maior parte é guiada pela personalidade. Há muito nervosismo sobre desiludir o planeado. Para ter, como eu disse, a coragem para realmente honrar isso… Aquele cliffhanger foi tão grande que se eles o contassem no início da temporada 4, eu acho que a nossa audiência, que tem sido tão boa nisso, seria cheirado o fracasso. Eles estariam desapontados porque nós lhes demos esta grande coisa, e depois nós fomos para a frente com isso. E nós procuramos isso. Eu acho que isso é super fixe.

P: Teve algum encontro memorável com fãs deste show?

Jackson: Bom, a experiência da Comic-Con… quero dizer, não é um único momento, mas sim a experiência de estar na Comic-Con. Mas nós, a discussão do panel é o momento mais fixe de cada Comic-Con. Apenas a paixão e o conhecimento e o sentimento bom em geral de que a sala é uma coisa inacreditável da qual se é parte. É tão incomum para um ator ser parte disso… e não acontece num filme… Não acontece numa TV também! Ser parte de uma discussão com pessoas que realmente amam o que quer que seja que você esteja a trabalhar enquanto você está a trabalhar. Normalmente, isso é algo que vem depois. Apenas depois de todos virem você consegue a interação. Mas Comic-Con, enquanto o show está no ar, providencia uma oportunidade de ir ano trás ano e ver a sua audiência para avaliar o seu nível de envolvimento.

P: Agora mesmo eu sei que é uma impossibilidade, mas eventualmente está entusiasmado para talvez mostrar a Peter que ele tem um filho? Isso é obviamente uma grande revelação.

Jackson: I think Peter already knew. I think at the end of last year when we were fast-forwarding to 2026, that Peter had lived all of those years in between. He had made the decision to destroy the other universe, and it strikes me as unlikely that while he was making that decision nobody said, “And by the way, you’re killing your lover [and kid] on the other side.” So I actually think that he’s aware of that. Because the only guy that we saw when he came back was just that glimpse, and he had to get like, “There’s a bridge here. Don’t kill each other while I’m gone,” before he disappears. So, I think he’s keenly aware of that.

P: Na Temporada 3, você colocou a teoria de que talvez a verdadeira ligação era entre Peter e a outra Olivia, porque eles eram do mesmo universo. A partir daí, Peter e Olivia, a “nossa” Olivia, ficaram juntos. Mas você acha que afinal de contas é a Fauxlivia quem ele realmente ama?

Jackson: Eu reveria a minha opinião agora depois da história que contamos no ano passado. Eu acho que ele tem uma atração mais natural pela outra Olivia. Mas o facto de que ele estava disposto a não matá-la mas a sacrificar ele próprio pelo amor por Walter e Olivia, eu acho que isso fala pela profundidade do seu acto. Portanto eu acho que no decorrer do último ano, a forma como eles escreveram aquelas cenas em que Peter conta a Olivia e a dor pela qual ela passa, eu pensei que eles escreveram essas cenas mesmo bem porque ele lidou com elas de uma forma muito humana. Ao contrário de se tornar ofensivo ou estar chateado ou estar com pena de si mesmo, ele simplesmente aceitou isso e, para mim, isso foi a primeira vez em que vi o Peter a se preocupar mesmo com a Olivia de uma forma romântica ao invés de uma forma de irmãos.

P: Quanta influência terá em histórias futuras?

Jackson: Bom, às vezes muita, e noutras vezes nenhuma. [Risos] O finale do ano passado, eu estava intimamente envolvido com ele, mas os rapazes são mesmo apertados no que toca a divulgar informação. É um show da Bad Robot. A informação é mantida sempre por perto. Portanto há algumas coisas sobre as quais eles estão mais abertos e podemos interagir juntos. Mas na maior parte das vezes em que eu tenho influência sobre uma personagem – e John irá dizer a mesma coisa, e eu e ele fazemos isto muitas vezes – nós levamos as coisas que eles escreveram e tentamos decifrar, particularmente para aquela relação pai/filho, como fazer todas aquelas coisas reais e humanas no centro deste grande show de ficção-científica sem limites. Portanto eu acho que é no set onde eu tenho a maior parte da minha influência.

P: É a falta de um Emmy para um show que é tão merecedor frustrante para si, ou você tende a ignorar isso?

Jackson: Eu não sei se você pode estar frustrado com extensão, mas sim, eu acho que é ridículo que John não tenha sido nomeado para um Emmy. Eu achei que foi ridículo quando ele não foi nomeado no ano passado. Se não fosse pela sua performance na primeira temporada do nosso show, eu acredito mesmo que nós teríamos sido cancelados. Levou, como leva um grande número de shows, algum tempo para descobrir o que iria ser. Nós tínhamos alguns conceitos que eram fantásticos, mas levou algum tempo para ganharem força. E eu não sei se vocês têm visto desde o início, mas aqueles primeiros seis episódios são instáveis. Eles eram desiguais e nós não podíamos dizer como o show ia ser. Ainda estávamos a tentar encontrar o seu formato. E a TV é um negócio cruel. Se você não entrega direito e ali, aí você está em grande problema.
Mas ele foi tão convincente naquele primeiro ano, e o personagem era tão interessante de assistir, que ele se tornou a história. Enquanto o show estava a tentar encontrar a sua forma e sua base, ele foi aquilo que deu forma a episódio após episódio após episódio. E os Emmys, eles não… De qualquer maneira, é um show de sci-fi, é um papel de cientista maluco. Que seja. Por qualquer razão que seja, eles não gostam. Apenas pessoalmente, se houver um MPV award para um show de televisão, eu não consigo pensar noutro ator — talvez Hugh Laurie .. que seja mais valioso numa rede de show para a sua sobrevivência como o John.

PS: A uma pergunta na qual não foi traduzida , eu realmente nao sei porque , mas acredito por que talvez seja spoiler, mas como eu tirei essa entrevista do site cortexiphan.net, sugiro que perguntem a eles, pois eu realmente não sei.
Fonte: cortexiphan. net

Nenhum comentário:

Postar um comentário